Atividades Científicas

Cursos

Curso:

Psicanálise de Criança 

Coordenadora: Eliana Mello

    

Analista Docente e Didata da Sociedade Psicanalítica do Rio de Janeiro.

 

Dia: sexta feira - Horário: 16:00 as 17:30

Duração do curso: 6 aulas

Período: 16 de março a 27 de abril

    Programa:   1 aula: por que Psicanálise com crianças? 2 aula: as primeiras entrevistas; 3 aula: o diagnóstico psicanalítico na direção da cura; 4 aula: transferências indiretas: o manejo da transferência com os pais; 5 aula: o processo psicanalítico; 6 aula: o que seria o final de análise no tratamento da criança?    

Informações e inscrições:

(21) 2428-1289 e 98382-6292

http://www.spbarra.org

Curso: Psicanálise e Velhice Coordenadora: Elisabeth Adler

Psicanalista do Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro (CPRJ); psiquiatra; bacharel em Ciências Sociais.

Dias: 09, 16 (quarta-feira) e 25 de maio (sexta-feira) Horário: 15h às 16:30 min

Programa: 09/05 - Considerações gerais sobre o programa; 16/05 - Relato sobre experiências com grupos de idosos tanto na clínica particular como na Universidade Aberta da Terceira Idade da UERJ (UnATI/UERJ) e 25/05 - Apresentação do documentário "Tarde dançante" seguido de debate. Apresentação: Propomos refletir sobre as dificuldades do envelhecimento e da velhice na nossa sociedade. Nossa abordagem psicanalítica nos levará a pensar questões como perdas, sexualidade, isolamento e agressividade entre outras assim como as possibilidades da clínica nesta etapa da vida. Destacamos os seguintes textos de Freud: Sobre a psicoterapia (1905); Sobre a Transitoriedade ( 1915); Luto e Melancolia ( 1917) e O estranho ( 1919).

Informações e inscrições: (21) 2428-1289 e 98382-6292 http://www.spbarra.org

 “A PRIMEIRA TÓPICA FREUDIANA”

Coordenador: Jeremias Ferraz

Psicanalista, Doutor em Psicanálise UFRJ. Prof. Adjunto IPUB (UFRJ) Membro efetivo SBPRJ, Membro da SPB OBJETIVOS Em seu livro A interpretação dos sonhos, no capítulo VII, Freud refere-se ao funcionamento do “aparelho psíquico”. Ele fala da personalidade utilizando-se de um modelo puramente psicológico sem associação nenhuma com o fisiológico propagando a ideia de que a personalidade deve ser compreendida como um aparelho psíquico e não mais neurológico. Essa primeira concepção da personalidade como aparelho psíquico recebeu o nome de “Primeira Tópica”. No curso pretendemos a partir do texto freudiano compreender a construção desta primeira dimensão do que ela chamou “aparelho psíquico” e sua importância metapsicológica. TEXTOS:
  • ALGUMAS OBSERVAÇÕES SOBRE O CONCEITO DE INCONSCIENTE EM PSICANÁLISE (1912)
  • RECALQUE (1915)
  • O INCONSCIENTE (1915)
  • O BLOCO MÁGICO (1925)
  • O CASO DORA (1905)
  • LEMBRANÇAS ENCOBRIDORAS (1899)
  • PSICOLOGIA DO ESQUECIMENTO (1901)

Sábados

horário: 8:30h as 10h

DATAS:

MAIO: 5 e 19

JUNHO: 16 e 30

JULHO: 7 e 21

AGOSTO: 11 e 18

SETEMBRO : 1 e 22

Curso: Perspectivas da clínica psicanalítica hoje

Coordenador: Abílio Ribeiro Alves

  Créditos: Professor da Pós-Graduação da FAMATH em Clínica Psicanalítica e psicanalista membro da ELP-RJ. Professor da Pós-Graduação da FAMATH em Clínica Psicanalítica e psicanalista membro da ELP-RJ.   Sinopse: A teoria e a prática da psicanálise fazem laço social: qual a sua função frente aos impasses do sujeito: conflito entre o recalque e o desejo; o mal-estar na civilização? Que posição ocupa o analista na direção tratamento? Como ele interpreta hoje? O que é o sintoma numa perspectiva psicanalítica? Pretendemos abordar problemas e questões clínicas presentes na atualidade. Propomos para esse Curso de Discussão Clínica situações, recortes e casos que nos permitam abordar os seguintes temas: novas apresentações clínicas das neuroses; montagens e atuações perversas nas cenas cotidianas; depressões e possíveis passagens ao ato; compulsões e toxicomanias; psicoses e estados-limite; impasses sexuais e de gênero.  

Dias: 19 de maio;

16 e 30 de junho;

7 e 21 de Julho; 11 e 18 de agosto;

1 e 22 de setembro de 2018

Horário: 10:30 às 12:30

 

Curso: Mecanismo obsessivo

MARÍLIA FLORES

membro titular da SPID (sociedade de psicanálise Iracy Doyle) Procrastinação, dúvida patológica, rituais, hipermoralidade, toque, pensamentos atormentantes, compõem o quadro clínico designado por Freud como neurose obsessiva. Neste seminário propomos o estudo dos textos freudianos iniciais que desenvolvem acerca desta patologia.

Dias: 5 e 19 de maio; 16 e 30 de junho; 7 e 21 de Julho; 11 e 18 de agosto; 1 e 22 de setembro de 2018

horário: 13:00 às 15:00


Atividades Cientificas

Objetivo:

Possibilitar o aprofundamento da Teoria Freudiana, o estudo e desenvolvimento de outros autores e tendências psicanalíticas e diferentes áreas da clínica psicanalítica.

Podem ser frequentadas por associados e não associados da instituição.

Critérios específicos para admissão em cada atividade serão estipulados pelos coordenadores das respectivas atividades.

1. Núcleos de Pesquisa Teórico – Clínica

Duração mínima de 2 semestres.

Propõem-se a ser um espaço de estudo e pesquisa sobre as diferentes vertentes teóricas e clínicas, proporcionando a possibilidade de especialização e produção em determinadas áreas. Visam gerar pesquisa e promover um pensamento questionador e criativo na Psicanálise.

Os associados em formação devem freqüentar no mínimo dois núcleos.

Os núcleos organizam-se em três áreas básicas:

    • Núcleos das principais tendências psicanalíticas vinculadas a autores
    • Núcleos das principais vertentes da clínica psicanalítica
    • Núcleos temáticos
 
2. Cursos

Versam sobre temas teóricos ou clínicos da psicanálise ou de outras disciplinas que, de alguma forma, sejam de interesse para a psicanálise.

Os associados em formação devem freqüentar no mínimo um curso com duração de um semestre.




A Sociedade de Psicanálise da Barra (SPB) é um espaço de estudo e pesquisa, bem como de troca de saberes e experiências, sobre questões da psicanálise. Oferece Formação Psicanalítica para médicos, psicólogos e áreas afins, além de cursos, núcleos e palestras abertos à comunidade. Possui ainda uma Clínica de Atendimento Psicanalítico para crianças, adolescentes e adultos.

Pretendemos sobretudo que a Sociedade de Psicanálise da Barra seja um espaço onde a teoria possa ser permanentemente questionada a partir da clínica e onde a criatividade de cada um encontre terreno fértil para se desenvolver e se expressar.

Objetivamos criar um espaço de troca, crescimento e criatividade para os seus membros, bem como promover atividades e eventos científicos que permitam a participação do público em geral.

Em agosto de 2007 tivemos o evento de abertura da SPB, projeto criado inicialmente por quatro psicanalistas: Elisabete Amado Reis, Maria Lucia Pilla, Maria Regina Domingues de Moraes e Sonia Resende Viana – todas pertencentes à Sociedade de Psicanálise da Cidade do Rio de Janeiro.

Neste site, você encontrará informações sobre a proposta e objetivos da SPB, e sobre nossas atividades.