Atividades Científicas

Cursos

Coordenação: Cynthia Ladvocat

Mestrado em Psicologia: Família e Casal – 2001 - PUC-Rio; Formação em Psicoterapia Analítica de Grupo; Membro Docente e Didata da Sociedade Psicanalítica do Rio de Janeiro; Membro da European Family Therapy Association; Presidente da Associação de Terapia de Família do RJ – 2002-2006; Presidente da Associação Brasileira de Terapia Familiar – 2008-2010; Presidente do XIII Congresso Brasileiro de Terapia Familiar, Rio, Julho 2018; Membro do Conselho da Associação Brasileira Terra dos Homens.
Objetivo:

Donald Winnicott é um dos autores mais encontrados em referências bibliográficas de textos psicanalíticos. E a SPB oferece esse ano de 2017 um curso sobre os principais conceitos na abordagem winnicottiana. A seleção dos artigos não seguiu uma ordem cronológica ou temática, considerando que o autor sempre privilegiou a criatividade nos seus colaboradores, discípulos e alunos. A partir da discussão teórica, situações clínicas serão levantadas para que os alunos possam internalizar a experiência do curso como um espaço potencial para a reflexão, escuta e aprendizagem.


Início: 13 de março de 2017
Horário: Segunda-feira - 19h às 21 horas
Duração: 13 de março a dezembro 2017
Local: Sede da SPB
End.: Avenida das Américas, 700, Bloco 8 - Sala 202 N - Shopping Città América - Barra da Tijuca.

CURSO A teoria dos sonhos em Freud

Sonhar é preciso, compreender é fundamental Em 1931, época em que a teoria psicanalítica já se encontrava totalmente desenvolvida, Freud fez a seguinte observação sobre seu livro “A Interpretação dos Sonhos”: “ (ele) Contém, mesmo de acordo com meu julgamento presente, a mais valiosa de todas as descobertas que minha boa fortuna permitiu-me fazer. Revelação como esta, o destino nos concede apenas uma vez no curso de nossa existência”. Na clínica buscamos escutar o sujeito do inconsciente e Freud afirma que a interpretação de sonhos é a via real para o conhecimento das atividades inconscientes da mente. Um sonho é também descrito como “um substituto de uma cena infantil modificada por ter sido transferida para uma experiência recente”. Vários elementos importantes estão presentes nessa obra, como: o funcionamento regressivo da mente, a natureza do mecanismo de deslocamento, o caráter de realização de desejos, as semelhanças entre os mecanismos dos sonhos e dos sintomas neuróticos, etc.

COORDENAÇÃO: Sonia R. Viana

Psicanalista pela (SPCRJ), Psicóloga Clínica e do Trabalho, Especialista em Terapia de Base Analítica pela Tavistock Clinic de Londres, Ex-funcionária do Serviço Nacional de Saúde Inglês, Fundadora da Sociedade de Psicanálise da Barra e Vice Coordenadora- Geral da SPB, Escritora e Poeta.

Horário: 14h às 15:30h quartas-feiras (semanal) Duração: 16 de agosto até 13 de dezembro

Curso: ESTUDANDO FÈRENCZI: novos Trilhamentos a Clínica Psicanalítica Contemporânea Coordenadora: Luiza Atalia Fontes Sempre esquivo aos dogmatismos, o enfant terrible da psicanálise, com seu espírito original, audacioso e criador, contribuiu de modo radical à pratica e à teoria psicanalítica dos " casos limite" que nos colocam, analistas e analisandos, frente ao sofrimento psíquico insuportáveis, que demandam modificações da Técnica psicanalítica, complemento indispensável à teoria que; pode e deve ser modificada e desenvolvida em função das necessidades impostas pelas exigências do tratamento. Coordenadora: Luiza Atalia Fontes: Psicanalista Data: Sexta-feira Horário: 16:00 às 17:30 Curso semanal e semestral Programa e bibliografia: Sandor Ferenczi - obras completas, S.P, Martins Fontes, 1992. "O conceito de introjeção" (1912) "O desenvolvimento do sentido de realidade e seus estádios" (1913) "A adaptação da família à criança" (1928) "A criança mal acolhida e sua pulsão de morte" (1929) "Elasticidade da técnica psicanalítica" (1928) "O problema do fim da análise" (1927) Informações e inscrições: (21) 2428-1289 e (21) 9838-26292 http://www.spbarra.org

Título do curso: A clínica e os estados limites Coordenador: Abílio Ribeiro Alves. Créditos: Professor da Pós-Graduação da FAMATH em Clínica Psicanalítica e psicanalista membro da ELP-RJ. Professor da Pós-Graduação da FAMATH em Clínica Psicanalítica e psicanalista membro da ELP-RJ. Sinopse: A clínica e os estados limites em termos de estruturas clínicas, Freud as definiu como: neurose, perversão e psicose. A importância dada por Freud ao diagnóstico se remetia a questão crucial sobre as condições de análise de um caso quanto à transferência. Hoje, discutimos os limites das análises no que tange aos casos limites, às psicoses não desencadeadas e outras apresentações clinicas de difícil condução. Pretendo discutir em duas aulas esse tema. A primeira aula com uma abordagem freudiana e a segunda, a clínica depois de Lacan Frequência da aulas. Sábados: 23/9 e 30/9 de 10h às 12h. Público Alvo: estudantes e alunos em formação em Psicanálise.

SEMINÁRIO TÉCNICO CLÍNICO Coordenadora: Katya Muniz Doutora em psicanálise, faculdade de filosofia e letras, Universidade Complutense de Madrid. Especialização em teoria e prática psicanalítica, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Especialização em Clínica e Psicoterapia Psicanalítica com Crianças, Universidade Pontifícia Comillas de Madrid. Especialização em teoria e clinica das adições e afecções psicossomáticas, Colégio Oficial de Madrid. Membro Psicanalista do Centro de Psicanálise de Madrid (IFPS). Associado psicanalista e Coordenadora Geral da Sociedade de Psicanalise da Barra (SPB). Este seminário tem como proposta trabalhar a partir da prática clínica, os conceitos da Transferência, Contratransferência, Resistência, Repetição e Elaboração possibilitando que estes caminhem para o campo de um saber a ser construído.

Horario: terça-feira as 19:00 ate 20:30

FREUD E A CONSTRUÇÃO DA PSICANÁLISE Sua história – Conceitos básicos – Aplicação em diversos campos do saber Objetivo: Apresentar um conhecimento básico sobre o que é psicanálise, através de sua história e dos conceitos fundamentais que sustentam seu edifício teórico. Os conceitos de inconsciente, sexualidade e angustia, são independentes, mas unidos por vínculos de reciprocidade indissolúveis. O curso foi estruturado por módulos. Módulo – O conceito de angústia Freud mostrou desde sempre preocupação com o afeto da angustia. Esse conceito aparece na maioria de seus escritos. Freud construiu o edifício teórico na psicanalise de modo gradativo, muitas vezes refez suas idéias e esse foi o caso em relação ao afeto da angustia, resultando em duas teorias sobre a angustia. Tempo de duração: 10 de agosto de 2017 até 31 de agosto de 2017 (4 aulas) Horário: Quinta-feira das 19:30 até 21:00 h Coordenadora: Dra. Kátya Muniz Módulo – Psicanálise e cultura Freud foi um homem a tento aos sinais de seu tempo e, por isso, sempre pensou a cultura. É vasto o legado deixado pela psicanálise à cultura. A teoria psicanalítica nos permite falar daquilo que se manifesta no discurso da cultura. A psicanálise parte do sujeito do insciente e do mal-estar do sujeito em suas relações com a cultura e está tão enredada na cultura atual que fica difícil imaginar o mundo sem seus conceitos básico e sem seu jargão peculiar. Tempo de duração: 14 de setembro de 2017 até 19 de outubro de 2017 (5 aulas) Horário: Quinta-feira das 19:30 até 21:00 h Coordenadora: Dra. Kátya Muniz DRA. KÁTYA MUNIZ Doutora em psicanálise, faculdade de filosofia e letras, Universidade Complutense de Madrid. Especialização em teoria e prática psicanalítica, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Especialização em Clínica e Psicoterapia Psicanalítica com Crianças, Universidade Pontifícia Comillas de Madrid. Especialização em teoria e clinica das adições e afecções psicossomáticas, Colégio Oficial de Madrid. Membro Psicanalista do Centro de Psicanálise de Madrid (IFPS). Associado psicanalista e Coordenadora Geral da Sociedade de Psicanalise da Barra (SPB). Informações e inscrições: (21) 2428-1289 - 983826292 http://www.spbarra.org

DO CORPO AO PENSAMENTO: O CORPO NA PSICANÁLISE E NA CLÍNICA CONTEMPORÂNEA Nome do coordenador: Fernanda Aranha Créditos do coordenador: Mestre em Psicologia Clínica (PUC-Rio), graduada em Psicologia pela Universidade de Edimburgo. Formação Psicanalítica na Sociedade de Psicanálise da Barra (SPB). Autora do livro: Corpo em Experiência: Primórdios da organização psíquica (2015). Horário: Quarta 20 -21:30h Duração do curso: 1 semestre Apresentação: O corpo está no epicentro do nascimento da psicanálise, tanto nas pesquisas iniciais de Freud acerca do funcionamento neuronal quanto nos corpos afetados pelos sintomas conversivos da histeria. Freud ancora-se na biologia para tecer uma ‘nova psicologia’, com uma escuta particular da subjetividade, onde o Inconsciente ganha destaque e onde o Ego é corporal, sede de registros corporais de sua história (registros que podem ser revestidos - ou não - de inscrições simbólicas). Na clínica, não é novidade que a prática contemporânea vem demandando do terapeuta novas ferramentas para lidar com as subjetividades de hoje, em particular na questão da reduzida capacidade de expressão simbólica. Faltam palavras e sobra angústia. De que forma a reflexão sobre o corpo pode contribuir para esse cenário?

EPISTEMOLOGIA DA PSICANÁLISE E A HISTÓRIA DO MOVIMENTO PSICANALÍTICO Nome do coordenador: Jeremias Ferraz Créditos do coordenador: Psicanalista, Doutor em Psicanálise UFRJ. Prof. Adjunto IPUB (UFRJ) Membro efetivo SBPRJ, Membro da SPB Horário: Terça-feira das 20:30 as 22:00 Duração do curso: 1 semestre Apresentação: O curso pretende abordar a Epistemologia da Psicanálise a partir do seu desenvolvimento e seu contacto com as culturas locais onde ele se desenbvolve. Programa: Paradigma Pulsional, Paradima reacional-pulsional, Paradigma relacional e Paradigma da estruturação do sujeito Frequência da aulas.

CLÍNICA PSICANALÍTICA COM CRIANÇAS Nome do coordenador: Sylvia Caram Créditos do coordenador: Mestre em Psicologia Clínica PUC-Rio, Especialista em Educação Infantil PUC-Rio, Membro da Associação Brasileira de Estudos sobre o Bebê, Membro da Sociedade de Psicanálise da Barra. Horário: Terça-feira de 17h30 às 19h Duração do curso: módulo de 8 aulas, início em agosto. Público Alvo: Psicólogos, estudantes de Psicologia é demais interessados. Programa: O brincar em Freud. Primórdios da clínica com crianças. Melanie Klein: brincar e associação livre. Winnicott e suas contribuições para o brincar: jogo do rabisco, jogo da espátula. A família em cena no brincar. Impasses e rumos da clínica com crianças.


Atividades Cientificas

Objetivo:

Possibilitar o aprofundamento da Teoria Freudiana, o estudo e desenvolvimento de outros autores e tendências psicanalíticas e diferentes áreas da clínica psicanalítica.

Podem ser frequentadas por associados e não associados da instituição.

Critérios específicos para admissão em cada atividade serão estipulados pelos coordenadores das respectivas atividades.

1. Núcleos de Pesquisa Teórico – Clínica

Duração mínima de 2 semestres.

Propõem-se a ser um espaço de estudo e pesquisa sobre as diferentes vertentes teóricas e clínicas, proporcionando a possibilidade de especialização e produção em determinadas áreas. Visam gerar pesquisa e promover um pensamento questionador e criativo na Psicanálise.

Os associados em formação devem freqüentar no mínimo dois núcleos.

Os núcleos organizam-se em três áreas básicas:

    • Núcleos das principais tendências psicanalíticas vinculadas a autores
    • Núcleos das principais vertentes da clínica psicanalítica
    • Núcleos temáticos
 
2. Cursos

Versam sobre temas teóricos ou clínicos da psicanálise ou de outras disciplinas que, de alguma forma, sejam de interesse para a psicanálise.

Os associados em formação devem freqüentar no mínimo um curso com duração de um semestre.




A Sociedade de Psicanálise da Barra (SPB) é um espaço de estudo e pesquisa, bem como de troca de saberes e experiências, sobre questões da psicanálise. Oferece Formação Psicanalítica para médicos, psicólogos e áreas afins, além de cursos, núcleos e palestras abertos à comunidade. Possui ainda uma Clínica de Atendimento Psicanalítico para crianças, adolescentes e adultos.

Pretendemos sobretudo que a Sociedade de Psicanálise da Barra seja um espaço onde a teoria possa ser permanentemente questionada a partir da clínica e onde a criatividade de cada um encontre terreno fértil para se desenvolver e se expressar.

Objetivamos criar um espaço de troca, crescimento e criatividade para os seus membros, bem como promover atividades e eventos científicos que permitam a participação do público em geral.

Em agosto de 2007 tivemos o evento de abertura da SPB, projeto criado inicialmente por quatro psicanalistas: Elisabete Amado Reis, Maria Lucia Pilla, Maria Regina Domingues de Moraes e Sonia Resende Viana – todas pertencentes à Sociedade de Psicanálise da Cidade do Rio de Janeiro.

Neste site, você encontrará informações sobre a proposta e objetivos da SPB, e sobre nossas atividades.