Atividades Científicas

Cursos

Primeira teoria pulsional de Freud Jeremias Ferraz - Psicanalista, Doutor em Psicanálise UFRJ. Prof. Adjunto IPUB (UFRJ) Membro efetivo SBPRJ, Membro da SPB O curso pretende acompanhar a cronologia da construção feudiana da sua primeira teoria pulsional. Os temas podem ser os que vc sugeriu menos o trabalho sobre Narcisismo Horário: 10:00 as 12:00 Dias: 13 de outubro 3, 10 e 24 de novembro 1 e 15 de dezembro 12 e 26 de janeiro 9 e 23 de fevereiro

Mecanismo obsessivo Marília Silva Flores - Membro titular da Sociedade de Psicanálise Iracy Doyle (SPID), coordenadora do projeto Interlocuções: psicanálise e literatura na Cidade das Artes. Segundo Freud a neurose  obsessiva "é o mais interessante e recompensador objeto da investigação analítica". Neste curso propomos o estudo dos seguintes textos freudianos: "Predisposição à neurose obsessiva" (1913) e "Sobre um caso de neurose infantil" - O homem dos lobos. (1918). Horário: 13:00 as 15:00 Dias: 13 de outubro 3, 10 e 24 de novembro 1 e 15 de dezembro 12 e 26 de janeiro 9 e 23 de fevereiro

Os Escritos Técnicos de Freud Cristiane Zeitoune - psicanalista. Doutorado em Teoria Psicanalitica/UFRJ. Mestrado em Psicologia Clinica/PUC. Professora substituta da UFF  (2011-2012). Coordenadora de saúde do Departamento Geral de Ações Socioeducativa (2013-2018) Introduzir o conceito de transferência e seu manejo clínico. A especificidade da excuta analítica. A importância da teoria  e da técnica na condução de um tratamento. A resistência, repetição e elaboração. Discussões de casos clínicos apresentados por Freud e outros Horário: 15:00 as 17:00 Dias: 13 de outubro 3, 10 e 24 de novembro 1 e 15 de dezembro 12 e 26 de janeiro 9 e 23 de fevereiro

Clínica psicanalítica com crianças Coordenadora: Sylvia Caram Mestre em Psicologia Clínica PUC-Rio, Especialista em Educação Infantil PUC-Rio, Membro da Sociedade de Psicanálise da Barra. Horário: segunda-feira das 11:30 às 13:00 início: 11 de março de 2019 duração: março ate dezembro de 2019 Programa: O brincar em Freud. Primórdios da clínica com crianças. Melanie Klein: brincar e associação livre. Winnicott e suas contribuições para o brincar: jogo do rabisco, jogo da espátula. A família em cena no brincar. Impasses e rumos da clínica com crianças na contemporaneidade. Psiquiatria e psicanálise.

Seminário de Discussão Clínica Beatriz F Rodriguez Psicanalista pela SPCRJ, especialista em Saúde Mental pelo IPUB - UFRJ Dias: Sábados (quinzenalmente) Horário:11:30 as 13:00 Datas previstas: 16 e 30 de março 13 e 27 de abril 11 e 25 de maio 8 e 22 de junho 6 e 20 de julho o seminário pretende realizar a articulação de conceitos fundamentais em psicanálise com a clínica. A partir da apresentação de casos clínicos trazidos pelos participantes, serão escolhidos temas e textos para leitura e discussão. Destacaremos os desafios apresentados pela contemporaneidade, o lugar do analista, resistência à análise. Sempre com cuidado na diferenciação dos conceitos, nas filiações teóricas, nas perspectivas históricas onde se engendraram.

Seminário de Fobia Coord. Katya Muniz Psicóloga, psicanalista, mestre e doutora em psicanalise pela universidade complutense de madri e coordenadora geral da SPB O conceito de Fobia: Ementa: A questão da Fobia será tematizada a partir do caso do pequeno Hans ( Análise de um menino de 5 anos-texto de 1909). Em seus estudos Freud desenvolve um entendimento da Fobia, do medo e da angústia. As questões que serão abordadas serão: por que surge a Fobia? Por que esse tipo de defesa? O que falha nos recursos defensivos psíquicos do sujeito para que o medo invada sua vida? Textos: Freud, S. Obsessoes e fobias. Vol III Freud, S. Análise de uma fobia de um menino de 5 anos. Vol x Bibliografia Complementar A Fobia: Estudos clínicos sobre o seminário “ A relação de objeto” de J. Lacan. Coordenação Charles Melman. Hans e a fobia. Escola Letra Freudiana. V. 24 Fobia e perversão. Revista Marraio – Formações do Campo Lacaniano – RJ. Vol. 04 Seminário de Fobia Coord. Katya Muniz Psicóloga, psicanalista, mestre e doutora em psicanalise pela universidade complutense de madri e coordenadora geral da SPB O conceito de Fobia: Ementa: A questão da Fobia será tematizada a partir do caso do pequeno Hans ( Análise de um menino de 5 anos-texto de 1909). Em seus estudos Freud desenvolve um entendimento da Fobia, do medo e da angústia. As questões que serão abordadas serão: por que surge a Fobia? Por que esse tipo de defesa? O que falha nos recursos defensivos psíquicos do sujeito para que o medo invada sua vida? Textos: Freud, S. Obsessoes e fobias. Vol III Freud, S. Análise de uma fobia de um menino de 5 anos. Vol x Bibliografia Complementar A Fobia: Estudos clínicos sobre o seminário “ A relação de objeto” de J. Lacan. Coordenação Charles Melman. Hans e a fobia. Escola Letra Freudiana. V. 24 Fobia e perversão. Revista Marraio – Formações do Campo Lacaniano – RJ. Vol. 04 Horário: Sábado (quinzenalmente) 8:30 as 10:00 Datas previstas: 30 de março 13 e 27 de abril 11 e 25 de maio 8 e 22 de junho 6, 20 e 27 de julho

Curso: SEGUNDA TEORIA PULSIONAL Coordenação: Jeremias Ferraz Psicanalista, Doutor em Psicanálise UFRJ. Prof. Adjunto IPUB (UFRJ) Membro efetivo SBPRJ, Membro da SPB O curso propõe acompanhar a cronologia da elaboração de Freud de sua segunda teoria Pulsional. Para introduzir o conceito de Narcisismo. 1914 Além do princípio do prazer 1920 Mal estar na Civilização 1930 O Ego e o Id 1923 Datas: 16 e 30 de março 13 e 27 de abril 11 e 25 de maio 8 e 22 de junho 6 e 20 de julho Horário: 10h às 11:30 (Sábado)

Grupo de reflexão: Amor e perda. Coordenação: Katya Muniz Psicóloga, Psicanalista, mestre e doutora em Psicanálise pela Universidade Complutense de Madri e coordenadora geral da SPB Objetivo: Refletir e dialogar sentimentos de perda e elaboração do luto. A dor da perda é singular e subjetiva, portanto cada um tem sua forma de lidar com ela.O luto de uma perda não se trata de um obstáculo a ser vencido e sim um processo a ser vivido. É necessário uma reformulação interna para uma adaptação á nova realidade. Dinâmica: 4 encontros Duração: 90 minutos Data: terças-feiras Horário: 19:30 Início: 02, 09, 16 e 23 abril de 2019 local: sede da SPB

Atividades Cientificas

Objetivo:

Possibilitar o aprofundamento da Teoria Freudiana, o estudo e desenvolvimento de outros autores e tendências psicanalíticas e diferentes áreas da clínica psicanalítica.

Podem ser frequentadas por associados e não associados da instituição.

Critérios específicos para admissão em cada atividade serão estipulados pelos coordenadores das respectivas atividades.

1. Núcleos de Pesquisa Teórico – Clínica

Duração mínima de 2 semestres.

Propõem-se a ser um espaço de estudo e pesquisa sobre as diferentes vertentes teóricas e clínicas, proporcionando a possibilidade de especialização e produção em determinadas áreas. Visam gerar pesquisa e promover um pensamento questionador e criativo na Psicanálise.

Os associados em formação devem frequentar no mínimo um núcleo (de duração de dois semestres).

Os núcleos organizam-se em três áreas básicas:

    • Núcleos das principais tendências psicanalíticas vinculadas a autores
    • Núcleos das principais vertentes da clínica psicanalítica
    • Núcleos temáticos
2. Cursos

Versam sobre temas teóricos ou clínicos da psicanálise ou de outras disciplinas que, de alguma forma, sejam de interesse para a psicanálise.

Os associados em formação devem frequentar no mínimo dois cursos com duração de um semestre.


A Sociedade de Psicanálise da Barra (SPB) é um espaço de estudo e pesquisa, bem como de troca de saberes e experiências, sobre questões da psicanálise. Oferece Formação Psicanalítica para médicos, psicólogos e áreas afins, além de cursos, núcleos e palestras abertos à comunidade. Possui ainda uma Clínica de Atendimento Psicanalítico para crianças, adolescentes e adultos.

Pretendemos sobretudo que a Sociedade de Psicanálise da Barra seja um espaço onde a teoria possa ser permanentemente questionada a partir da clínica e onde a criatividade de cada um encontre terreno fértil para se desenvolver e se expressar.

Objetivamos criar um espaço de troca, crescimento e criatividade para os seus membros, bem como promover atividades e eventos científicos que permitam a participação do público em geral.

Em agosto de 2007 tivemos o evento de abertura da SPB, projeto criado inicialmente por quatro psicanalistas: Elisabete Amado Reis, Maria Lucia Pilla, Maria Regina Domingues de Moraes e Sonia Resende Viana – todas pertencentes à Sociedade de Psicanálise da Cidade do Rio de Janeiro.

Neste site, você encontrará informações sobre a proposta e objetivos da SPB, e sobre nossas atividades.